jusbrasil.com.br
28 de Abril de 2017

Ativistas LGBT promovem “cristianofobia” no Rio

E se fosse um cristão protestando contra o homossexualismo?

Andre Sousa
Publicado por Andre Sousa
há 3 anos

Blasfêmia agora é "protesto"?

[Perdoe-me o leitor a foto apelativa, desrespeitosa e indecente ao lado, mas ela se faz necessária para mostrar a que ponto os ativistas LGBT têm chegado em suas manifestações absurdas. - MB] Duas ativistas do movimento feminista Bastardxs promoveram um beijaço gay em frente à Igreja da Candelária, no Centro do Rio, no início da tarde [de] sábado. Seminuas, Sara Winter - ex-femen - e Bia Spring foram para a frente do templo católico promover um ato pacífico [!] em favor do estado laico e pela criminalização da homofobia. As duas também proferiram palavras em repúdio ao discurso do candidato à presidência Levy Fidelix (PRTB) sobre a comunidade LGBT. “Há uma grande quantidade de candidatos e políticos eleitos que estão diretamente envolvidos com instituições religiosas, sobretudo cristãs, que tanto atrasam o desenvolvimento de nossa política, principalmente com relação aos direitos reprodutivos da mulher e também às políticas públicas voltadas para o público LGBT”, declarou Sara.

Segundo Sara, o ato foi organizado após o discurso do candidato Fidelix: “Só para a presidência são três candidatos diretamente ligados às propostas religiosas. Muitos ignoram toda a variedade. Foi o discurso de ódio do candidato Levy Fidelix, que pediu que a maioria heterossexual deveria combater a minoria homossexual, que nos levou a fazer este manifesto hoje”, afirmou Sara, ressaltando que o ato também buscava sensibilizar o eleitor para que, no momento do voto, não misture política com religião.

(O Dia)

Nota: Como assim “ato pacífico”? E se um heterossexual, em lugar de apenas dizer que discorda do estilo de vida homossexual (valendo-se de seu direito de expressão, sem ser necessariamente homofóbico por isso), fizesse manifestação semelhante à das ativistas, quem sabe usando de maneira desrespeitosa a bandeira gay do arco-íris? O que aconteceria com ele? O que o cristianismo tem que ver com as palavras ditas pelo ex-presidenciável Levy Fidelix? Por que apontar as armas contra Jesus Cristo (que tanto amou prostitutas, discriminados, párias da sociedade), quando o assunto é homofobia? A atitude de Sara e Bia é desproporcional, desrespeitosa, preconceituosa e descabida. Trata-se de um claro exemplo de “cristianofobia”. Mas será que elas serão presas ou processadas por isso? Alguma organização como a OAB tomará providências a esse respeito? Ou, nesse caso, a liberdade de expressão está valendo? Será que elas teriam coragem de fazer isso em países islâmicos e protestar, quem sabe, contra a morte de cristãos e crianças inocentes nas mãos de radicais? Ser corajoso num país livre, cristão e democrático é fácil... [MB]


Fonte: http://www.criacionismo.com.br/2014/10/ativistas-lgbt-promovem-cristianofobia.html?utm_source=feedbu...

Disponível em: http://andrelfsousa.jusbrasil.com.br/noticias/144489165/ativistas-lgbt-promovem-cristianofobia-no-rio

22 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Absurdo mesmo! É assim que querem respeito? Difamando a religião alheia? Esse movimento LGBT que queima o filme dos gays! continuar lendo

Assim como a bancada evangélica é a maior responsável pela cristofobia e os protestantes tradicionais acabam pagando pelas besteiras que esse pessoal faz lá no congresso. PEC 99? Proibir o aborto em casos de estupro? Levar ensino religioso pra ESCOLA PÚBLICA? Fora outras coisas.

Há erros graves dos dois lados e quem paga são os que não fazem parte dos grupos que os cometem. continuar lendo

Realmente, um pouco mais de bom senso, e tudo ficaria muito bem....
MAS, veja bem, não são duas velhinhas lá não se beijando, ou pessoas comuns, são pessoas que vão se auto-promovendo, para se vender, vender a sua imagem.
Não são ideais autênticos que promoveram, mas sim seus próprios nomes e cormos nas revistas masculinas de segunda linha do próximo mês....
É, dinheiro é assim, para ganhar ele, vale tudo mesmo, até desafiar uma sociedade inteira. continuar lendo

Leonan Martins, tenha por si que essas leis as quais ferem a laicidade podem ser defendidas pelos seus representantes. Qualquer tipo de abuso deve ser evitado.
Temos na sua gloriosa PL122 cotas para professores homossexuais.
Pode? Isso é Laico?
Ou as cartilhas que querem que seja estimulada a sexualidade em idades neurologicamente impróprias.
Pode?
Remover os termos "pai" e "mãe" dos materiais didáticos e escolas (sem dia dos pais e mães). Pode?
Questões aberrantes tem que ser evitadas a contento sim, de ambos os lados.
Quanto ao aborto por estupro, é lei, e foi votado na sensatez da maioria.
Esse foi um passo sensato, mas tem viés religioso defender o contrário? Sim como também o oposto. Venceu o lado laico.
E então, me conta o porquê é tão ter atitudes construtivas para conquistar seus direitos? Ops... Eles já estão lá, falta uma bela calibragem para punir atos de violência contra opção sexual e também o preconceito.
Já se casam, já adotam, já são defendidos como qualquer cidadão.
Falta frisar bem frisado que atos de preconceito devem ser punidos quanto a opções sexuais.
O que querem mais?
Poder enfiar imagens no reto todos os dias?
Extremos não prestam para NINGUÉM!!! continuar lendo

"Temos na sua gloriosa PL122 cotas para professores homossexuais.
Pode? Isso é Laico?"

Não diria cotas. Mas se um professor homossexual fizer concurso e passar, ele não pode ser impedido de exercer a função e nem ser discriminado por ser homossexual. E se tal impedimento do exercício da função for em função de crença, ai sim estamos ferindo os princípios do Estado Laico.

"Ou as cartilhas que querem que seja estimulada a sexualidade em idades neurologicamente impróprias."

Quem me conhece, sabe que eu nunca concordei com o chamado Kit Gay. Um projeto tão exagerado quanto a PL 122. Porém, acho que poderíamos implementar nas escolas públicas, uma aula de CONSCIENTIZAÇÃO SOCIAL. Essa aula, seria para conscientizar sobre RESPEITO, TOLERÂNCIA para com as diferenças, pra colocar fim nessa cultura covarde de que homofobia, intolerância com credos não cristãos ou mesmo a odiosa cultura de maltratar animais. Não são necessárias figuras obscenas para conscientizar sobre respeito e tolerância. Há bons livres para isso, com ideias nesse contexto, que seriam muito úteis para gerar uma sociedade mais respeitosa no futuro. Aulas de sexo, só no SEGUNDO GRAU, para conscientizar sobre doenças sexualmente transmissíveis e o aborto.

"Remover os termos"pai"e"mãe"dos materiais didáticos e escolas (sem dia dos pais e mães). Pode?"

Tão errado quanto levar ensino religioso proselitista para escolas públicas. Logo, discordo disso ai. A questão é tratar as novas formatações de família, com o respeito que elas venham a merecer. Por exemplo, se crianças fosse adotadas por casais homossexuais e esses lhes dessem uma vida digna, sem impor a homossexualidade à elas. Vc não acha que esses casais, iriam merecer serem respeitados nos dias de pai e mãe?

"já são defendidos como qualquer cidadão."

Não existe uma lei que pune homofobia como crime de ódio. Por isso que muita gente se encoraja a falar besteiras desrespeitosas para homossexuais. E eu repito, não estou defendendo PL 122 que foi uma lei exagerada, elaborada com rancor e a vontade de fazer com os outros, o que fazem com eles. Mas colocar orientação sexual na lei 7,716, acho justo. Não seria um privilégio, pois o racismo é combatido por essa lei. E enfim, faria com que certos babacas por ai, pensassem 10x antes de falarem sobre gays. Podem ser contrários a prática, mas sem desrespeitar e muito menos incitar ódio (como Levy Fidelix fez). continuar lendo

Leonan Martins, sua visão de defender o justo é admirável! Realmente se ponderar tudo como esboça, e for praticado, o Estado vai vislumbrar uma saída rápida para colocar homofobia como crime de ódio.
Quando a professores, conheço um caso de professor transexual, que é um grande profissional, inclusive aprovado pelo diretor da escola (Cristão e evangélico). Ele é chamado pelo nome feminino, é muito bem tratado pelo corpo docente e até onde sei, é uma pessoa que quer ser comum ao seu modo, entende estranhezas e exige seus direitos como cidadão.
Outro caso, são dois esteticistas de um centro de estética muito conhecido. São muito bem vistos, respeitados e andam pelas ruas sem problemas, MAS concordaram que se expor demais e apelar forçava a barra. Então, os dois saem para fumar na frente do estabelecimento, com seus uniformes de trabalho, muito bem maquiados (claro, é a sua marca) e as mulheres vendo eles muito bem apresentados, com pomos-de-Adão enormes e pelé de pêssego, são um chamariz para as clientes que veem uma pelé cinzenta de barba transformada.
Isso é um ideal alcançável e, se poucos conseguiram (casamento, adoção, pleno exercício da profissão), TODOS conseguem. Basta pontos comuns de entendimento.
Pode assustar? Parecer estranho? Pode.
Reagir de forma odiosa, e COMPROVADA, deve ter peso tal qual racismo, e punido como tal.
Tudo vai dar certo se for ponderado cada ponto, eliminado o que é supérfluo e valorizado o que é essencial. continuar lendo

Elas não estão difamando religião alguma. Estão fazendo pior que isso pois a imagem de Jesus Cristo na Cruz e a doação de corpo e alma do Filho de Deus morrendo por nossos pecados na Cruz. Pessoas como essas deviam estudar um pouco mais e buscar outras formas de expressar o seus sentimentos de indignação. continuar lendo